Category Artigo

A chamada « PhD with experience abroad » da Fiocruz reabre

Professores e pesquisadores podem se candidatar às bolsas de estudo do Programa de Internacionalização Institucional – PrInt Fiocruz-Capes. A seleção PhDs with Experience Abroad é agora reaberta após um adiamento devido à pandemia de Covid-19.

A chamada visa atrair pesquisadores com experiência em um país estrangeiro para trabalhar na Fiocruz. Professores e pesquisadores, brasileiros ou estrangeiros, com tal formação, residentes no Brasil ou no exterior, podem se candidatar a bolsas de Pós-Doutorado ou de Jovens Talentos de 6 meses.

O objetivo é engajar líderes internacionais no campo da saúde, que tenham produção científica e tecnológica relevante para contribuir com a inovação dos programas de pós-graduação, intensificar o desenvolvimento da internacionalização e da excelência da educação na Fiocruz.

As propostas devem ser apresentadas até 7 de outubro, de acordo com o novo cronograma.

Mais informações no website de la Fiocruz


Projetos ECOS Sul/Norte: Peru e Argentina

Os pesquisadores que desejam se candidatar ao programa Ecos têm até o :

  • 30 de outubro para a Argentina (Sul), a data de encerramento da convocação de projetos foi adiada. O MinCyt lançará a convocação de projetos durante o mês de julho.
  • 6 de agosto para o Peru (Norte).

para enviar o dossiê.

O objetivo do programa é iniciar ou desenvolver a cooperação científica e as relações entre centros de pesquisa e universidades francesas e sul-americanas através do apoio a projetos conjuntos de pesquisa de excelência por um período de três anos.

Mais informações no site do programa: http://www.univ-paris13.fr/cofecub-ecos/


Digitalização de documentos da Amazônia por uma equipe franco-brasileira

créditos : CDHBA / Foto : Ludovic Fossard

O Centro de Documentação Histórica da Baixa Amazônia (CDHBA), ligado ao curso de licenciatura em Históriada UFOPA (Universidade Federal do Oeste do Pará, Brasil), ganhou um projeto realizado em parceria com o Tribunal de Justiça do Estado do Pará (TJPA), o CNRS (Centre National de la Recherche Scientifique) e a Biblioteca da Universidade da Califórnia.

Esse projeto, coordenado pela pesquisadora do CNRS Émilie Stoll e seus colegas historiadores da UFOPA Gefferson Ramos Rodrigues, Wania Alexandrino e Luiz Laurindo Junior, é dedicado à Digitalização de registros judiciais arbitrados sob regimes autoritários na Amazônia no século XX. Os documentos legais localizados na Comarca de Óbidos, no oeste do Pará, e atualmente sob custódia da Ufopa, serão digitalizados graças ao financiamento do Modern Endangered Archives Program (MEAP). O MEAP dedica-se a digitalizar e tornar acessíveis arquivos dos séculos XX e XXI ao redor do mundo, contribuindo assim para o acesso ao patrimônio histórico e cultural e auxiliando na construção de múltiplas narrativas e perspectivas da História.

Camila Gomes, bolsista da Embaixada de Luxemburgo, escaneando um documento do século XIX (créditos : CDHBA / Foto: Ludovic Fossard)

Os $50.000 concedidos pela Biblioteca da Universidade da Califórnia nos Estados Unidos, além do financiamento da Embaixada de Luxemburgo, serão usados para pagar os pesquisadores e bolsistas e para financiar a compra do equipamento necessário. As atividades serão desenvolvidas ao longo de dois anos, a partir do ano que vem.

A CDHBA, que hospeda a equipe franco-brasileira, foi criada em 2017  com o propósito de catalogar, digitalizar e disponibilizar para consulta documentos históricos da região.

Reunião da Equipe CDHBA (créditos : CDHBA / Foto: Ludovic Fossard)

A força do projeto é o envolvimento de estudantes de graduação. O projeto contará com 12 alunos que serão acompanhados pelos pesquisadores.

“Essa é uma grande conquista, especialmente num momento em que as universidades brasileiras vêm sofrendo gravemente com o corte de recursos, e mostra que as Humanidades têm muito a contribuir com projetos que valorizam a preservação de documentos que registram a vida das populações amazônicas”, enfatiza o coordenador, Gefferson Ramos.

Fontes:

Artigo da Globo

Emilie Stoll (CNRS)

Website do CDHBA


O gene XAF1 modula o risco de desenvolver cânceres associados com a mutação “TP53 brasileira”.

As mutações somáticas no gene TP53 são uma das alterações mais comuns nos cânceres humanos, e as mutações na linha germinal deste gene são a causa da síndrome de Li-Fraumeni, que predispõe a uma ampla gama de cânceres. Este estudo, publicado na revista Science Advances, mostra que uma mutação no gene XAF1 modula a probabilidade de ocorrência de câncer (penetração) em portadores da mutação TP53 p.R337H (“mutação brasileira”), que é generalizada na população dos estados do sul do Brasil.

As mutações da linha germinativa no gene supressor de tumores TP53 são a causa da síndrome Li-Fraumeni, que predispõe ao desenvolvimento de vários tipos de câncer. Enquanto quase 100% dos portadores de mutações do tipo “clássico” TP53 (reduzindo a capacidade da proteína de se ligar ao DNA) desenvolvem cancros durante sua vida útil, as mutações que afetam outras áreas da proteína predispõem ao câncer com menor penetração. Este é o caso do mutante p53 p.R337H, que mantém em grande parte a atividade da proteína do tipo selvagem e está associado a diferentes tipos de câncer com penetração inferior a 10%. Esta mutação fundadora é generalizada na população dos estados do sul e sudeste do Brasil e as patologias associadas representam um verdadeiro problema de saúde pública para uma população em risco de cerca de 100 milhões de pessoas.

Como parte do projeto de pesquisa internacional CNRS EXPOGEN-CANCER, cientistas do Hospital de Pesquisa Infantil St. Jude, do Hospital Pequeno Príncipe e do CNRS estavam interessados nos fatores genéticos e ambientais que podem influenciar o desenvolvimento do câncer em portadores da mutação TP53 p.R337H. Eles identificaram, em alguns portadores dessa mutação, uma variante sem sentido do gene XAF1 (um gene muito próximo do TP53 no cromossomo 17). A presença desta nova mutação (p.E134X) aumenta significativamente a incidência de certos tipos de tumores, particularmente os sarcomas, dentro deste subgrupo. Estudos in vitro mostraram que a proteína XAF1 do tipo selvagem aumenta significativamente a capacidade de regular a expressão dos genes alvo p53, enquanto que o XAF1 mutante p.E134X perdeu este efeito.

Estes resultados têm implicações muito importantes para o acompanhamento clínico e a detecção precoce de tumores em portadores da mutação TP53 p.R337H.

Diagrama do cromossomo humano 17. Os genes XAF1 e TP53 são aproximadamente 2 Mbases separadas na banda cromossômica 17p13.1 (Foto: E.M. Pinto et al)

Artigo original : https://insb.cnrs.fr/fr/cnrsinfo/le-gene-xaf1-module-le-risque-dapparition-des-cancers-associes-la-mutation-tp53


Lançamento da chamada International Emerging Action 2020

As International Emerging Actions são projetos liderados por um pesquisador ligado a uma unidade da CNRS e um pesquisador afiliado a uma instituição de pesquisa estrangeira cujo objetivo é explorar novos campos de pesquisa e novas parcerias internacionais.

Elas financiam missões de curto prazo, a organização de reuniões de trabalho e seminários e os trabalhos iniciais de pesquisa conjunta em torno de um projeto científico compartilhado. Uma seleção na convocação das International Emerging Actions permite que a equipe do laboratório filiado à CNRS receba créditos complementares (de 5 000 a 7 000 euros por ano) para o financiamento dessas atividades de mobilidade.

As International Emerging Actions são por um período não renovável de 2 anos.

Fim da chamada : 23 de setembro de 2020.

Para mais informações, você pode visitar o site da DERCI (Direction Europe de la Recherche et Coopération Internationale): https://international.cnrs.fr/actualite/lancement-de-lappel-actions-internationales-emergentes-2020/


No widget added yet.