Chamada para professores visitantes para o Instituto Latino-Americano de Estudos Avançados

A chamada para as cátedras visitantes do Institute of Advanced Latin American Studies (IHEAL) está aberta!

O candidato deve ter pelo menos 65 anos de idade no momento de assumir o cargo no IHEAL, ter realizado um doutorado por pelo menos 5 anos no momento de assumir o cargo; ser um professor baseado em uma universidade ou ser um pesquisador com uma organização de pesquisa estrangeira no momento da candidatura.

Um professor será recrutado para uma estadia de um semestre (4 meses entre setembro e dezembro de 2021 para o primeiro semestre) e três serão recrutados para uma estadia de 3 meses (entre janeiro e março de 2021 para o segundo semestre).

O IHEAL recebe aplicações nas seguintes disciplinas: história, geografia, antropologia, sociologia, economia e ciência política. Para o ano acadêmico de 2021-2022, o Comitê de Recrutamento dará atenção especial – mas não exclusiva – às propostas de cursos em estudos de gênero e ambientais, migração e questões de saúde, e América Central, Caribe e México. O enseignant∙e ∙s poderá oferecer cursos no novo IHEAL Master LAGLOBE (América Latina e Europa em um Mundo Global), co-financiado pela União Européia.

Mais informações no site do IHEAL


Chamada para o programa REFEB 2021

A Embaixada da França no Brasil criou o programa REFEB em 2001 para permitir que jovens pesquisadores brasileiros pudessem prosseguir seus estudos em Ciências Sociais e Humanas através de um campo de pesquisa no Brasil, começando com o Mestrado 2.

Está disponível uma subvenção de 900 euros/mês para estadias de 3 a 6 meses. Os candidatos devem ter menos de 35 anos de idade na data de encerramento das inscrições, ser de nacionalidade francesa ou européia e estar engajados em pesquisas de ciências sociais na França como parte de um Mestrado 2, um Doutorado ou, subsidiariamente, um Pós-Doutorado (podendo apresentar prova de inscrição atual em uma instituição francesa de ensino superior e pesquisa).

O prazo final para as solicitações é sexta-feira, 6 de novembro de 2020.


Chamada ATIP-Avenir 2021 – INSB

O INSB (Institut des Sciences Biologiques) do CNRS (Centro Nacional Francês de Pesquisa Científica) está abrindo o concurso para o programa ATIP-Avenir, cujo objetivo é ajudar jovens pesquisadores a desenvolver projetos inovadores de pesquisa em total autonomia. Mais especificamente, este programa fornece apoio para a constituição de suas próprias equipes de pesquisa nos campos das ciências da vida e da saúde.

Mais informações no website do INSB


Lançamento do Atlas Crítico da Guiana Francesa pelas Edições CNRS

O Atlas Crítico da Guiana Francesa, publicado pelas Edições CNRS, será publicado em 17 de setembro 2020 sob a direção de Matthieu Noucher, pesquisador da CNRS, e Laurent Polidori, diretor de pesquisa do UMR CESBIO (Centre d’Etude Spatial de la BIOsphère). É uma obra coletiva (85 autores) e multidisciplinar (geografia, história, sociologia, antropologia, botânica, ecologia, arqueologia, etc.).

Abstrato

O mapa não é o território. Uma obra da mente, uma interpretação do espaço, há muito que permanece a prerrogativa do poder, a expressão do dominante, transmitindo representações parciais, dúbias ou orientadas. Um cenário em ordem que por vezes fabrica a ordem muito real das nossas sociedades. Elaborada na década de 1970, esta observação crítica ainda hoje perturba a leitura dos mapas. Este atlas faz parte deste movimento intelectual crescente: pretende ser um exercício de cartografia crítica aplicada a um determinado espaço: a Guiana Francesa. Uma obra colectiva (85 autores) e multidisciplinar (geografia, cartografia, sociologia, história, antropologia, arqueologia, etno-botânica, linguística, etc.), questiona os mapas existentes, procedendo a uma análise de todos os problemas principais desde a sua elaboração (confinar, delimitar, detectar, recolher, nome) até à sua utilização (medir, planear, revelar, congelar, ligar). Também trata dos temas cruciais da Guiana Francesa, produzindo mapas originais sobre fronteiras, costas, florestas, tráfego, panorâmicas de ouro, toponímia, topografia, terra, planeamento urbano, relações geopolíticas, biodiversidade, etc. Enquanto os dois últimos capítulos “Imaginar a Guiana Francesa através dos mapas” e “Esquecer o branco dos mapas” reinterpretam o mapa na medida lógica das suas suposições ou omissões.

Link para o website do Atlas

Colaboradores : Régine Alexandre • Waiso Michel Aloïké • Tasikale Alupki • Xavier Amelot • Edward Anthony • Nicolas Baghdadi • Françoise Bahoken • Pierre Baulain • Julien Béziat • Élisabeth Botrel • Stéphanie Bouillaguet • Aurélien Brusini • Cristèle Chevalier • Christine Chivallon • Gérard Collomb • Pascale Cornuel • Marion Comptour • Romain Cruse • Philippe Cuny • Jeanne da Silveira • Damien Davy • Lucie Déjouhanet • Gutemberg de Vilhena Silva • Aurélie Dourdain • Guy Di Méo • Marie Fleury • Pierre-Michel Forget • Jérôme Fozzani • Pierre Gautreau • Antoine Gardel • Grégoire Gitton • Luis Alejandro Ávila Gómez • Sophie Gonzalez • Françoise Gourmelon • Stéphane Granger • Luc Greffier • Pierre Grenand • Juliette Guirado • Stéphane Guitet • Leïla Hamidi • Matthieu Hildebrand • Théo Jacob • Marquisar Jean-Jacques • Morgane Jolivet • Pierre Joubert • Patrick Lacaisse • Dennis Lamaison • Bettie Laplanche • Grégoire Le Campion • Isabelle Léglise • Clémence Léobal • François-Michel Le Tourneau • Sébastien Linarès • Serge Mam Lam Fouk • Marie Masson • Marie Mellac • Mickaël Mestre • Delphine Montagne • Vincent Morrachini • Valérie Morel • Jérôme Murienne • Thierry Nicolas • Matthieu Noucher • Guillaume Odonne • Aimawale Opoya • Marianne Palisse • Anne Péné-Annette • Frédéric Piantoni • Julie Pierson • Olivier Pissoat • Laurent Polidori • Monique Pouliquen • Jean-Yves Puyo • Stéphen Rostain • Boris Ruelle • Daniel Sabatier • Mara Sierra Jiménez • Cyrille Suss • François Taglioni • Marc-Alexandre Tareau • Christiane Taubira • Dénétèm Touam Bona • Julien Touroult • Pascal Tozzi • Moïse Tsayem Demaze


Programa de bolsas de estudo dos Institutos franceses de Estudos Avançados

Os Institutos Franceses de Estudos Avançados (IFEA) lançam um programa de bolsas de mobilidade internacional em Ciências Humanas e Sociais que oferece residências científicas de alto nível nas quatro IEA de Paris, Lyon, Marseille e Montpellier.

O programa de bolsas dos IFEA apoiará pesquisadores individuais que realizam pesquisas com a maior liberdade, com o forte apoio científico e extra-acadêmico dos IEA. O consórcio oferece em média 30 bolsas de estudo de 10 meses por ano acadêmico. A chamada para inscrições 2021-2022 está aberta!

A data limite é 15 de setembro de 2020, até as 15h00 (horário de Paris, França).

Mais informações : https://www.fias-fp.eu/


A abertura da chamada « PhD with experience abroad » da Fiocruz

Professores e pesquisadores podem se candidatar às bolsas de estudo do Programa de Internacionalização Institucional – PrInt Fiocruz-Capes. A seleção PhDs with Experience Abroad é agora reaberta após um adiamento devido à pandemia de Covid-19.

A chamada visa atrair pesquisadores com experiência em um país estrangeiro para trabalhar na Fiocruz. Professores e pesquisadores, brasileiros ou estrangeiros, com tal formação, residentes no Brasil ou no exterior, podem se candidatar a bolsas de Pós-Doutorado ou de Jovens Talentos de 6 meses.

O objetivo é engajar líderes internacionais no campo da saúde, que tenham produção científica e tecnológica relevante para contribuir com a inovação dos programas de pós-graduação, intensificar o desenvolvimento da internacionalização e da excelência da educação na Fiocruz.

As propostas devem ser apresentadas até 7 de outubro, de acordo com o novo cronograma.

Mais informações no website de la Fiocruz